ERROR_FILE

Eu viajo sempre a trabalho. E quase todas às vezes minha mulher me faz surpresas quando eu chego em casa.

Ela geralmente me conta quantas vezes deu para outros caras, e como se aproveitou da minha ausência para ficar com os amigos.

Numa das minhas viagens ao Rio, era umas 19 horas e eu tinha acabado de voltar para o hotel, após a reunião com clientes. Era um sábado, e resolvi ligar para casa para falar com ela.

Ninguém atendeu. Achei que ela devia estar na casa de um dos amigos dela... fodendo. Então, pensando em como ela ia me contar no dia seguinte a transa, tomei um banho e estava quase pegando no sono quando toca o celular...

Era ela. – Oi corninho. Tudo bem? Hoje resolvi fazer uma surpresa. Fui num barzinho no centro e encontrei um macho bem gostoso e agora estou com ele aqui num motel. Fala um pouco com ele enquanto fico chupando o pau dele.

Em seguida ouço a voz de homem: – Oi, tudo bem? Você sabe que você tem uma mulher muito gostosa, né? E desde lá no bar que eu não via a hora de poder foder ela. Ela tá agora chupando minha pica. E como essa putinha sabe chupar um pau cara. Parabéns.

Eu, ainda quase dormindo, pedi pra voltar a falar com ela, pois ainda estava querendo entender direito a situação.

Mas ele respondeu meio ríspido: – Agora não, não corta o barato porque ela tá chupando tão gostoso. Mas vou por o telefone perto pra você ouvir o barulho de como ela faz. Ela agora ta passando a língua bem devagar em volta do meu pau. Puxa, ela sabe chupar bem gostoso. Depois vou por ela de quatro e enfiar minha pica todinha nela. Ai então você vai poder falar com ela.

Eu, já totalmente desperto, nessa hora não aguentei e falei pro macho: – Então come ela logo, de quatro, enfia toda sua pica nela.

E ele: – Calma amigo, calma, ainda temos tempo... amanhã é domingo. Vai ter tempo pra ela me chupar muito ainda, não são nem dez da noite. Mas se você quiser que eu meta nela já, pra ouvir gemendo na minha pica, então fala que você quer que eu foda sua esposinha.

Então eu, sem ainda saber com quem ela estava no motel, falei pra aquele estranho: – Mete nela então macho, por favor, fode minha esposa, põe tua pica na buceta dela que eu quero ouvir ela sendo fodida.

Ele então falou: – Vou fazer melhor, vou passar o telefone pra ela e você pede pra eu comer ela, tá? Você que é o corno é que tem que mandar ela dar gostoso pra mim. Tá bom assim?

Em seguida ouvi a voz dela no telefone: – E ai corno, que achou do macho que eu arrumei? Agora ele está esfregando a pica na minha bocetinha.

– Amor, fala pra ele enfiar a pica de uma vez na sua bocetinha, fala. Que nem ele faz com uma putinha de verdade.

E eu no telefone ouvi perfeitamente ela falando pra ele: – Enfia de uma vez essa pica na minha buceta, que o corno quer ouvir você me fodendo. Me faz de putinha, vai, pro meu corno ver como eu sei escolher bem, machos que são bons de cama.

Pude então ouvir ela gemendo e falando pra ele: – Isso, meu macho gostoso... põe essa pica na sua puta… pode enfiar tudo. E num som mais alto, com ela colada no fone, agora falando pra mim: – Que delicia corno, foder com esse macho... ele tem um caralho muito bom... agora tá metendo tudo na minha buceta. Daqui a pouco vou gozar amor... na pica desse macho... E diminuindo um pouco o volume, por ela ter colocado o telefone na cama, acho: – Vai me gostosão, fode com força essa puta pro meu corno ouvir tudo... fode mais... mais força... assim, isso... tá ouvindo amor, como sua puta está sendo fodida... ele tá enfiando tudo na minha buceta.... tá arrombando ela... vai deixar do jeito que você gosta amor...

Eu já estava me masturbando, com a outra mão segurando o telefone bem colado no ouvido, pra não perder nada. E ela agora falando bem perto do telefone: – Corno, não pensa que eu vou ficar só na bocetinha, não. Vou dar o cuzinho também pra ele. Quero aproveitar bastante, afinal, amanhã é domingo mesmo.

Logo em seguida a ligação foi cortada. Talvez os créditos dela – ou dele – acabaram. Liguei para o celular dela, mas só caia na caixa postal. Depois da quinta ou sexta tentativa desisti, mas passei toda a noite na maior tesão, me masturbando, sem conseguir dormir e só pensando que no dia seguinte ia pegar o avião, voltar pra casa e louco de vontade de saber o que aconteceu depois.

No domingo a tarde, quando cheguei em casa, ela me recebeu com o maior beijo e falou, bem safada: – Meu corninho, que eu amo... você nem pode imaginar como aquele macho era gostoso… ele me fodeu a noite toda.. comeu minha bocetinha….. meu cuzinho… durante bastante tempo.. e depois de me foder muito, em várias posições... tirou a camisinha e gozou tudo na minha boca… eu adorei… e fiz questão de engolir tudinho. E ele me pediu pra ir dar pra ele hoje a noite, de novo. Então, vou preparar algo pra gente comer, que você deve estar morto de fome, e mais a noite você fica aqui em casa bonzinho que ele vai me foder de novo lá no mesmo motel, tá amorzinho?

Eu falei que sim, pois ela já tinha arranjado tudo, e claro, fiquei com mais tesão ainda por saber que ela ia ficar mais arrombada ainda e ia ter mais coisas pra me contar quando voltasse.

Ela foi tomar um banho, colocou uma mini calcinha e um vestido bem de puta, e eu vendo ela se arrumando não resisti e quis partir pra cima, mas ela não quis, dizendo que era pra mim esperar a segunda trepada e que agora era hora de comer alguma coisa, mas sim comida mesmo.

Com um beijinho ela saiu para se encontrar com o macho dela e aquelas horas que ficou fudendo não passavam nunca. Até que lá perto da meia-noite ela chegou.

Foi entrando, tirando a roupa e já me levando da sala - onde eu estava assistindo um filme qualquer - pra cama, e lá ficou me masturbando, me dando umas chupadinhas, e às vezes dava umas paradas e falava como ele tinha comido ela, as posições que fizeram, como ele comeu seu cuzinho, a posição que fizeram na pia do banheiro, com ela abrindo bem as pernas… e que, o que ela mais gostou, foi quando ela ficou de quatro... dando o cuzinho e ele falando que depois era pra ela falar pro corno como tinha sido.

Não aguentando ouvir seu relato, eu estava em ponto de bala e fui pra cima dela, que ao mesmo tempo abriu bem as pernas, e deu até pra ver que realmente sua bucetinha estava bem aberta, mais ainda porque quando ela sai com os outros machos, volta sem tomar banho.

Ao enfiar meu pau deu pra sentir o quanto aquele macho tinha arrombado ela nas duas trepadas quase em seguida. Falei pra ela que estava do meu jeito preferido. E ela, claro, só dizendo que também estava adorando eu fodendo agora ela bem arrombada, como se fosse uma puta mesmo.

Gozamos em pouco tempo e ela, cansada, pegou logo no sono. E só então pude reparar num detalhe… ela tinha uma bela marca de chupão num dos seios… E no ato o tesão voltou, e se ela não estivesse com tanto sono, com certeza ia ter um segundo ato.

Mas deixei isso pra de manhã cedo. E pensando na próxima foda dela com outro macho que for arranjar.

Por, Marido bonzinho


Escreva um comentário


Código de segurança
Digite os caracteres na caixa abaixo ou, Clique Aqui para gerar outros.